Justiça decreta prisão temporária de homem suspeito de matar ex-mulher em Mogi Mirim

Juarez Ferreira, de 54 anos, foi encontrado em Jacutinga, no sul de MG.

Vítima, Genersia Maria de Souza, tinha 42 anos.

Filha dela teve a mão esquerda decepada ao tentar defendê-la.

Genezia Souza foi morta a facadas em Mogi Mirim Reprodução/EPTV O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) informou, nesta sexta-feira (8), que foi decretada a prisão temporária de 30 dias do homem suspeito de matar a ex-mulher com golpes de facão, além de decepar a mão esquerda da filha dela, em Mogi Mirim (SP).

Juarez Ferreira, de 54 anos, não passou por audiência de custódia por não ter sido preso em flagrante e foi levado à Cadeia Pública de Itapira (SP). O suspeito foi preso na noite de quinta-feira (7) em Jacutinga (MG).

Em um vídeo, policiais civis informaram que a investigação entrou em contato com delegacias de outras cidades e conseguiu localizar o suspeito.

Ele estava em um sítio na zona rural do município mineiro.

As vítimas foram esfaqueadas na noite de quarta-feira (6) e encaminhadas para a Santa Casa de Mogi Mirim.

A morte de Genersia foi confirmada na manhã de quinta.

O suspeito e a vítima estavam separados há um mês e têm um filho de um ano e meio.

A filha dela, de 24 anos, tentou defender a mãe, também foi atacada e perdeu a mão esquerda.

Ela segue internada na unidade médica e o estado de saúde é estável.

Um dos quatro filhos de Genersia, Lucas Henrique de Souza contou que a mãe já havia procurado a Polícia Civil por quatro vezes para denunciar o homem.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o atendimento prestado à vítima será apurado.

Juarez Ferreira é o principal suspeito de esfaquear e matar a ex-mulher em Mogi Mirim Reprodução/EPTV Áudios Ferreira mandou áudios para a vítima pedindo que eles retomassem o relacionamento.

Os arquivos foram obtidos pela EPTV, afiliada da TV Globo, com a família.

"Agora você já sabe, eu to aqui falando por tudo o que é sagrado.

Vem urgente, antes que seja tarde demais.

Que seja tarde demais.

(...) Depois não vai dar tempo nem pra eu pensar, nem pra você pensar, nem pra ninguém pensar mais porque já acabou tudo", disse o suspeito, em um dos áudios. Em outro áudio, a vítima responde ao ex-marido e pede para ele parar com as insinuações.

"Ninguém é obrigado a morar com ninguém.

Acabou.

Você vive sua vida e eu vivo a minha", afirmou.

Genersia Maria de Souza, de 42 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (7) na Santa Casa de Mogi Mirim.

Ela foi atacada pelo ex-marido com um facão na noite de quarta (6), no bairro Parque das Laranjeiras. Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Categoria:SP - Campinas e região